quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Hoje eu sonhei mais cedo,
logo depois do cochilo a luz do dia com os olhos abertos.
Um fracasso tremendo e uma porção de palavras soltas, assim como os sonhos que substituímos por doloridas verdades insânas.
Eu via sorrisos e sorria também.
Por hora, posso ver o movimentos das coisas se encaminhando para seu lugar, assim como vejo as nuvens de chuva preparando o espetáculo mor.
Não ando pensando muito e mesmo assim meu cérebro está derretendo, ando longe e nem saio do lugar, penso e depois descarto.
Tudo corre, todos correm.
de medo da chuva.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

O que pode fazer lembrar de valores guardados em uma parte do armário?
Não foram perdidos, mas estão lá... desaparecendo em meio a poeira.


...

Nada como um dia para pensar como você já foi e no que você se transformou!

Não sei dizer como era ou se estou melhor agora, porque tudo quando passa faz mais sentido, não é?!

...
Lembro-me como se fosse hoje, daquele passeio na chuva e do meu sorriso refletindo naquela luz brilhante, recíproca, de um dia fechado.

...

As coisas mudam e eu sei que é normal. (...)

As pessoas mais se adaptam as mudanças que a vida exige, do que buscam realmente algo que lhes faça bem... e eu já não sei distinguir o que é errado, ou qual caminho se deve seguir, já que as pessoas mudam de si, mudam sem perceber assim como mudam de propósito.

...

Só estou observando o que todo mundo sabe, de uma maneira que só eu vejo.

Não que eu esteja certa mas gosto de pensar pelos outros, às vezes...

...

mas é isso.

Você consegue se ver a um ano atrás? e a dois? e a dez?

Mude agora, pra melhor! eu acho.


terça-feira, 10 de novembro de 2009

Ontem vi um filme que já acabou.

Uma peça de palhaços onde eu sou a piada principal.
Abriram as cortinas e, só eu que não estava fantasiada e mesmo assim todos gargalhavam.

Uma semana é suficiente para mudar a vida, e um dia e você pode estragá-las completamente, pois já não é apenas uma...
Feridas e desculpas para justificar o que não muda. Nem vai. Todo mundo gosta e ser enganado com falsas promessas, falsos olhares, sorrisos, beijos e mãos...vira um propósito, dá uma vontade de viver, mas hoje, nota-se que só de minha parte acontecem essas coisas, esses sentimentos inocentes e esparançosos, assim como os esforços para que tudo fique bem, mesmo que temporiamente.
Ninguém tem culpa por ele ter acabado, morrido entre gemidos e tarefas domésticas, caído e ao mesmo tempo em que cria raízes, apodrece.
desliguem por favor o aparelho que o mantém vivo.
Desisto também.



Muito prazer meu nome é Otário, vindo de outros tempos mais sempre no horário.
Peixe fora d'água, borboletas no aquário...(8)

terça-feira, 27 de outubro de 2009

as cores mudaram e acabou o ar.
tudo escureceu mais ainda era dia, e não era chuva.
dançando com o vento mesmo que ele tenha ido embora... numa súplica imensa...
não fica nada, ninguém. Até os pensamentos fogem, os olhos observam qualquer coisa, procurando um sinal de lucidez.
Será que vou morrer?
primeiro sinal de vida, rss.
Até que se encontra e recomeçam as coisas 'normais' como se sentir preocupado e vazio.

Fim.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

coisas de outubro...

Começo e paro, parou.


Três outubros e já consigo saber qual o mês mais caótico do ano.


Ando perdendo pra eu mesma, nessa competição interna a qual nunca se sabe pra que serve.até quando?


Vários tropeços, lágrimas, doses de coragem, taças de vinho, sorrisos, olheiras e muitoo muito trabalho. Aqui, lá e lá longe, na História.


já parei, fiz várias perguntas, mudei as respostas, tentei entender, desisti de tudo, recomeçei, cansei, me entreguei, ri e chorei mais um pouco.


descobri que o mundo não cabe nas minhas mãos e que eu não sou tão forte assim.


não vou desistir de nada mas vou parar de sangrar toda hora.


Me perdoem pelo mau humor, pelo sorriso irônico, pelos erros grotescos, pela falta de atenção, por toda distração que me acompanha, pelo nervosismo, pelo sono, pela fome, por mais sono, menos tempo, mais trabalho, menos dinheiro, mais caras feias, mais dores, menos medo, menos criatividade, mais cigarros, menos ar, mais esforço, cansaço, ausência.
Estou longe de mim, em off por escolhas e obrigações.Quase naquele lence de transe, num vai e volta entre os mundos!
Enjoei da minha letra feia, do reflexo do espelho e de todos esses erros que não param de se repetir, sem perceber ou não, são poucas as coisas que eu ainda tenho certeza.


Às Vezes Nunca


Engenheiros do Hawaii

Composição: Gessinger

'tô sempre escrevendo cartas que nunca vou mandar

pra amores secretos, revistas semanais e deputados federais

às vezes nunca sei se "AS VEZES" leva crase

às vezes nunca sei em que ponto acaba a frase (.,;?!...)

você sempre soube (eu não sabia)toda frase acaba num riso de auto-ironia

você sempre soube (eu não sabia)toda tarde acaba com melancolia

e, se eu escrevesse "SEM" com "S", ou escrevesse "CEM" com "C"??

por acaso faria alguma diferença??que diferença faria??

o que você faria no meu lugar...... se tivesse pr'aonde ir e não tivesse que esperar??

o que você faria se estivesse no meu lugar...... se tivesse que fugir e não pudesse escapar?

você sempre soube que eu não conseguiria

quando a frase acaba tarde, tudo fica pr'outro dia

você sempre soube, eu não sabia

toda tarde acaba em melancolia

às vezes não entendo minha própria letra minha própria caneta me trai

às vezes não entendo o que você quer dizer quando fica calada

você sempre soube (eu não sabia)quando a frase acaba o mundo silencia

às vezes não entendo onde você quer chegar quando fica parada

é como ficar esperando cartas que nunca vão chegar

não vão chegar com "X" nem vão chegar com "CH"

é como ficar esperando horas que custam a passar

enquanto ficamos parados, andando pra lá e pra cá

é como ficar desesperado de tanto esperar

olhando pela janela até onde a vista alcançar

é como ficar esperando cartas que nunca vão chegar

é como ficar relendo velhas cartas até a vista cansar

você sempre soube - eu não sabia

você sempre soube - eu não sabia.


sexta-feira, 9 de outubro de 2009

estou sentindo


aquele gosto amargo...

das doces sextas-feiras.



Novamente.

Na santa paz de deus, no mais perfeito caos (8)




quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Quantas vezes falo, palavras repetidas, mais quais são as palavras, que nunca são ditas?!





Um imenso vício de linguagem, repetições seguidas de vácuo, inspiração em doses fracas, idéias são só idéias sem ideais...


As vezes penso ser a parte errada de todas as experiências, sinto vergonha por envergonhar, não gosto de mim e as vezes não gosto de ninguém.


Era esse o sonho utópico quando esteve rodeada de afeto. Porém, as coisas mudam, as necessidades aumentam e o dinheiro acaba rápido.


Não gosto de reclamar e nem de reclamações. Não penso muito nas grandes perguntas, mas hoje eu disse pro espelho: Quem é você? Ele não respondeu, talvez essa é a resposta mais sábia que já consegui.


Se eu sou o silêncio, então não precisa gritar ao se imaginar caindo.


Sou movida por sentimentos e doses enormes de sonhos infantis.


Antipatizo com facilidade e minhas ações são friamente calculadas. Me esforço em agradar, passo por cima de qualquer hipótese de 'talvez' , escolho um lado e vou até o fim da batalha.


Sinto um imenso medo da perda, ele é tão grande que não hesito em arriscar nada, exijo garantias, provas e promessas.


Cerca de 50% das minhas ações são decididas por intuição, confio muito no meu lado desconfiado.


Não sei o porque de estar escrevendo tudo isso aqui...


Não gosto de dar satisfações, não gosto que pensem a meu respeito, não gosto de leite e tenho rinite.
Gosto de rock and roll, heavy metal , música gótica, apaixonada por Engenheiros do Hawaí, curto pra caramba Legião, tem dias que eu não ouço nada por pura opção.



Tenho uma meia duzia de amigos, um amor pra lá de sincero e recíproco, uma família legal e careta, uma boa educação, uma moto, uns bons livros, 'um milhão' de textos pra ler e quinhentos e poucos conhecidos no orkut. (E eu, o que faço com esses números? )


Tô com vontade de escrever isso o dia inteiro, mas esqueci e lembrei que tenho uma rotina chata pra cumprir, hoje 24h. amanhã acaba e se eu continuar por aqui, talvez eu volte.


Se não voltar leiam isso no meu velório ;)


hahaha brincadeira mãe! Eu acho, só amanhã teremos certeza né? ou não... enfim...


Texto chato pra uma quinta feira chata.


Bruna Letícia, muito prazer!

terça-feira, 22 de setembro de 2009


...


todos tem momentos difíceis, hoje é o ápice da minha dificuldade.

comigo e com todos os próximos, já que não vejo os distantes e nem sinto falta disso.

Vivo o dia de hoje com uma pressão como se fosse o último da minha pobre vida. Caso seja mesmo o último dia, não fiquem tristes nem felizes, fiquem todos imóveis, como agora.

não é suicídio, eu prometo.

É só o desabafo de quem não vê com quem falar.

Hoje descobri que todos me odeiam, e isso me arrancou um sorriso de convicção "eu sabia".

Não existem motivos, aparentemente.

Eu simplesmente cansei do lado de cá da rede.

Adeus blog ou até amanhã. Quem sabe?


não saber o que acontece, quando acaba de acontecer...

E eu estava ali, pensando, pensando, escrevendo linhas tortas, palavras erradas e rindo de mim mesma, por não saber como pode ainda não saber! O céu caía lá fora, pareciam lágrimas de uma gargalhada irônica do próprio ego. Mas não era, era apenas uma triste tempestade de despedida do inverno.
E, em meio desses relances tragi-cômicos, me oferecem uma oportunidade de agradar... e é claro, assim o fiz. Agora a culpa é toda minha por assassinar minha tranquilidade.
E é só o começo. Eu sei.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Os dias de nada.

Sabe aqueles dias em que nada parece no lugar? hoje é um deles.
tantas coisas pra fazer, trabalhos, livros e projetos, telefonemas, agenda, pessoas, problemas...
e eu aqui sentindo que estou perdendo um filmão na sessão da tarde.
Preciso de férias, ou coragem.
Necessidades básicas de uma segunda feira nublada.

Eu penso no ontem pra fugir de agora, até que seja 22:40 h.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

observação.

Bom, dizem que...
?
ahh dizem um monte de besteira, o tempo todo, tempo algum.

Nos perdemos em saber ou em não saber, em quem acreditar, quem matar, quem ler primeiro, pra onde ir, com quem ir, ficar? morrer?

são tantas as opções que tudo se resume em deixar isso pra lá, realidades sombrias versus energias vitais, hahaha, juro que não tem nada ilícito misturado aqui, apenas doses diárias de coisas que já vimos desde criança, nos cansaram tanto que agora se tornam confusas.

Agora eu acredito num destino que me disseram dia desses, acredito friamente que acredito nisso tudo, eu acho. Mesmo que acreditar não é ter certeza, é uma espécie de vontade induzida.

Um dia de cada vez? A única certeza.


terça-feira, 8 de setembro de 2009

O Filme de todo o dia, por Alam Arezi*

Toda manhã,
Gosto de brigar com meus olhos
para que eles fiquem abertos
observando o pijama tirar e a roupa colocar

Toda tarde,
Gosto de esculpir um retrato
de como seria minha parte em seu lugar
ousando criar vestígios para me manter acomodado

Toda noite,
Gosto de passar o braço por cima de teu peito cansado
para esquecer completamente da merda do dia solitário
mesmo sabendo que a rotina continua.

E vivendo um dia de cada vez
talvez eu chegue ao fim do mês
ao seu lado
num domingo qualquer.


http://www.cabecavoodoo.blogspot.com/

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Não me leve a sério, não me leve a mal, me leve para casa...


Era uma vez uma criança que achou que poderia mudar o mundo, resolver todos os problemas... até que conheceu os problemas da matemática. Uma garota que sonhava alto, até descobrir a labirintite. Jovem, pensava ainda em mudar certas coisas... até que os hábitos, a rotina, os amigos, trabalho, dinheiro, falta de., acabaram mudando ela.

Hoje em dia é uma pessoa mudada, que não consegue mudar nem o espelho, imagina se pode mudar pessoas... e depois de tudo isso...

Ela desistiu, e morreu afogada ao beber um copo d'água.



[...] agora já é tarde, já não tem mais jeito, já não te saída. No fim das contas a gente faz de conta que isso faz parte da vida. (H. G.)






terça-feira, 25 de agosto de 2009

Não procure nada aqui.

Não faz muitas horas que conheci esse dia, mesmo assim já vi tanta coisa, ou inventei...meus olhos enxergaram e minha cabeça maluca processou,meio sem controle, normal.
Deixei em casa um rosto cansado da vida, um sono profundo, abri a porta e vi um rosto encoberto pela tristeza, as pernas finas andavam depressa e a cabeça baixa parecia medir o chão.
Logo, em outra esquina, pude ver claramente a esperança num sorriso amarelo e cansado de 'bom dia', nada recíproco.
Vi a pressa sem sentido das pessoas, vi alguns homens puxando telhas, tijolos e cimento, por incrível que pareça na esquina havia um homem carregando flores, fiquei confusa, mas o gesto mais bonito que escolhi não foram as flores.
Pessoas carregando sacolas e outras com as mãos vazias, ainda suportando o peso de suas consciências. Destruídas. O céu caminhava a passos lentos, enquanto todos nós estávamos correndo, enquanto alguns, como eu, observavam, outros... não queriam ver nada; Quem estava mais errado eu não sei... mas é assim mesmo, me contenta o fato de enxergar.
Minhas mágoas passam despercebidas, não significa muito o meu nada pra quase ninguem, a não ser que sejam futilidades baratas.
Logo, vi uma amiga, uma situação interessante, na qual vi meu filme por outro ângulo, com suas palavras determinadas e cheias de certeza eu me vi vencendo num futuro que ainda não conheço. Desta vez foi diferente, senti apoio em seus olhos e não medo, desprezo e ironia como rotineiramente vejo em tudo, isso fez do dia que ainda começa... um dia diferente!
Obs: eu pensei em terminar essa coisa dizendo: tudo isso porque não tinha um espelho na minha frente! Mas ela mudou meu roteiro. Como algumas coisas mudam rápido,assim como outras não mudam nunca, incrível. Clichê básico.



O infinito é realmente um dos deuses mais lindos...(8)

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Acordo todo dia de dia.

Normalmente escrevo aqui coisas que só pertencem a mim, expostas da maneira mais confusa possível! Mas hoje eu não sei, a sensação é outra... como se fosse uma obrigação prazerosa, um ofício que não é meu. Enfim... os erros são os mesmos e ainda há muito vazio nos espaços entrelinhas.

Sem nenhuma teoria, com a bagagem cheia do nada que nos falta, penso em partir, cruzar o rio atrás de água, um caminho de novo diferente, usando o mesmo sorriso amarelo e como uma legítima capricórniana... descançar carregando pedras! Não me importo... os endereços serão sempre os mesmos e eu buscarei sempre o mesmo caminho novo e de novo.
Eu sei... pra quem sabe... essas frases não são minhas, mas... estão adaptadas em minha realidade, vontade.
E, hoje eu acordei mais cedo...
e não praquejei por isso.
Feliz terça-feira a todos que brevivem a mais uma!!

- Qual é a droga que salva? Qual é a dose letal? H. G.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

nada, além de divertido.

É uma história da minha cabeça... assim como tudo que vejo no dia-a-dia...


E só por que ela cansou de fazer tipo, ainda não vejo necessidade em destratar...
contenho minha vontade limitada, ainda.
As horas passam e fica claro o teatro que foi um dia, o qual era dividido entre O Senhor da sabedoria e o Resto, em que a missão era apenas sorrir,agradar, venerar, caso contrário o jogo mudaria, e mudou, agora a idéia é apenas - tornar pó.
Qualquer situação se torna uma brecha pra um sorriso nojento e irônico. Deve ser no fundo de dor, por não ter "virado pó" também e o mais importante... não ter virado pó, com a companhia desejada.
Mas o bom é que ela não se incomoda com isso, apenas enxerga todas as entrelinhas da inveja estampada no olhar, vira a esquina e morre de rir em seu íntimo, não existe dó nem receio, só realismo e uma dose dupla de sarcasmo.
O Senhor da sabedoria, acha, acha mesmo, que sabe tudo. Ela não acha nada, alem de divertido.



... a história se repete mas a força deixa a história mal contada...H.G.(8)


* O senhor da Sabedoria, pode ser interpretado como você quiser, pois é um personagem fictício, mas encontramos um a cada esquina.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Transparente

Você olha e pode não ver...
Você quer e nem sabe por que!
Deixa e perde o controle, deixa e perde a si mesmo. Mas não se pode prender, só aprender.
Não conseguir decifrar o que se sente, dói tanto quanto.
Saber o que é obvio e tentar pensar que não. óhhhhh não!
Chorar uma caixa d'água, não sentir vontade de nada... é, apenas um acúmulo de forças e uma faxina de desgastes.
Eu sei...
Eu entendo, eu vejo, eu evito - alheios.
Comigo, não disfarço nada.
E eu vejo a dúvida cumprimentando a insegurança.
Ao menos não me deixaram sozinhas...
Puts, e agora?


...

Eu sempre precisei de um pouco de atenção. Acho que não sei quem sou só sei do que não gosto!

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Passando por cima.

Se eu soubesse como começar já tinha terminado... até a monografia.
cada parágrafo, de tudo, parece o maior desafio, e eu já estava pensando em aposentadoria...
EU, nós, queremos sair daqui, ter problemas novos, ter uma rotina diferente, renovar até quem sabe algumas soluções...

***

As vezes cansa ficar no meio de tudo e de todos, meu nome não é Meio Termo, mas por hora estou com preguiça de esclarecer o blá blá blá...
(agora você pára, e tenta adivinhar do que se trata, enquanto isso eu me divirto;)
Não tente adivinhar o que eu quero, não ache que sabe tudo sobre mim, não se incomode, não se preocupe, não finja, não perceba, não disfarce, não tenha dó, nem sinta inveja... e na dúvida: pergunte!
O que tambem as vezes me cansa, é o fato de que existem pessoas que acreditam ter uma bola de cristal e prever que suas pragas poderão cair sobre mim.
O problema é que eu não sou cobaia pra que me usem em testes.
Tô fora.
E, como a maoiria deveria estar...
Eu sei o que estou fazendo, falando e comendo, portanto se eu engordo, caio e engasgo, o problema é meu.
Agradeço a preocupação, ou desejo meus pêsames se o problema é que sempre dou um jeito, o melhor claro... e não deixo a torcida falar " Ah eu sabia"
... vão continuar se impressionando^^

Obrigada pela atenção e com licença, meu trabalho, minha monografia, minha casa e lógico, meu Al. são mais importantes que satisfações à bolas de cristal... aff.


Tudo isso veio de uma leve sensação... não estou dando resposta pra ninguem...a princípio.
Boa semana à todos^^

quarta-feira, 22 de julho de 2009

pausa para um café -
outra para um cigarro -
outra para sentir preguiça -
mais uma, para nada.
Olha-se ao redor e só se vê o invisível, o sono acabou de virar a direita na próxima esquina e as sensações fazem tanto barulho que não se consegue correr atrás do sono porque o tempo ta voando. E ele é mais rápido.
Tudo como se fosse um jogo de tarot num tabuleiro de xadrez com a seqüencia da paciência. Um surto, um susto! E ainda esses dias eu procurei um lugar certo pras idéias mas, o espaço tava cheio e a solução é não solucionar, se não perde a graça, uma vida pra cumprir tabela não agrada a ninguém e planos são bons pelo fato de que podem ser alterados de modo inesperado, agradável.
Os planos são os seguintes:
- .

sem mais.
... gosto de ver você dormir que nem criança com a boca aberta(6) ... lalalalalalala

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Pra quem achava que o tempo parou... quem parou no tempo fui eu.
o tempo é a maior desculpa que se possa dar a qualquer coisa, é também o companheiro mais fiel e aquele que não perdoa nada!

A rotina é uma antipática metida que, quer se auto-destruir e levar quantos puder com ela.
Altos e baixos das pessoas, umas se importam mais, outras nem tanto... a busca incessante pela sobrevivência, nos torna cada vez mais egoístas... vendo o mundo e agindo de modo que pouco a pouco nos cega. Não enxergamos mais nada real e nos afundamos num poço de faz-de-conta no qual idealizamos um monte de bobagens que seriam suficientes para satisfazer as vontades próprias, não podemos esquecer que na maioria desses poços existe um deus, que cada um enxerga como quer, sabe pra que? Pra que esse deus seja uma espécie de escravo... moldado pra realizar as vontades...

Tem coisas que eu não consigo entender e desanimam. Tempo fechado.

terça-feira, 9 de junho de 2009

a mesma mentira...

As coisas e pessoas são contagiantes.
tem gente reclamando lá fora, que o tempo voa... e eu achando que o relógio parou!

ninguém = ninguém.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Não tenho que dar nenhuma resposta, mas minha mente me obriga a retribuir a quem me abriga.
Uma vez eu descobri que eu estava nas entrelinhas, dos pensamentos, atitudes e intenções, boas e más. Certa vez ouvi, que todo mundo tem alguma coisa em especial, um dom. Hoje eu sei que não se pode fazer somente o que se gosta, que qualquer coisa, necessita de sacrifícios para ter gosto do 'valeu a pena'.
Numa maré de desânimo, sem motivos realmente concretos,  eu pensava que não tem o porque as pessoas darem seu melhor em tudo, economizar esforços e dinheiro pra um futuro que nem sabemos o que é, sacrificar-se por pessoas, sejam elas filhos, amigos ou amores que talvez amanhã nos deixem procurando um melhor para si. Nesse turbilhão de bobagens, pensei num fim do mundo, na destruição, onde tudo virava pó e lágrimas de 'por que????' ! Aí eu olhei pela janela e vi o vizinho construindo.O  prédio dele já está no 3º andar, não o conheço, mas olhando dá pra ver que todo dia, antes mesmo de eu chegar, e, mesmo com esse frio de bater o queixo, ele está lá, no meio dos pedreiros esperando a reconstrução, acredito que na casa de seus 60 e poucos anos. Até então eu passava e ao mesmo tempo que nos comprimentávamos com o simples "Bom dia" eu pensava, "que burro, com esse frio e aí assitindo os outros trabalhar, se fosse eu eu tambem assistiria... os desenhos na minha cama quentinha, com minha aposentadoria gorda (que deve ser a dele)". E todo dia essa mesmice, ele lá assistindo a reconstrução com seus bons anos vividos, e eu aqui imaginando justificativas pra ele estar fazendo tal sacrificio, será que as pessoas só pensam em dinheiro ou ainda fazem as coisas por amor?
Sei lá, as vezes não posso responder nem por mim, me cabe ficar imaginando os propósitos das pessoas. 
Essa história tá chata e longa, talvez nem eu a leia novamente, por isso vou continuar escrevendo, sem pensar muito.
Vejo que o meu vizinho de trabalho está motivado, o que ele espera eu não sei, mas que  me causou curiosidade, é certo.
Eu penso em planos conjuntos, em um futuro bom, em um emprego que me faça bem ( não que esse seja ruim, mas não quero ser secretária a vida inteira  e viver em função da profissão de outras pessoas, já realizadas). Ao mesmo tempo que penso nesse futuro que pensando bem nem quero pensar muito, imagino as pessoas que amo, se suportariam/ suportarão, estar ao meu lado, quem teria que fazer mais sacrifícios, o tamanho do preço que se paga a estar perto, abrir mão de vontades e vantagens para se ter uma presença e um abraço apertado.
Não são lamentações, apenas dúvidas que me povoam a cabeça, pensando em dom, em escolhas, em qualquer coisa relacionada, eu só consigo pensar em amor, nada mais me prende tanto a atenção. Eu tenho tudo que é fundamental, essencial; mas isso gera o medo de não ter mais.
As dificuldades, notas baixas  e as paranóias, eu dou um jeito de superar, pra ter aquele gosto que eu já disse, aos meus amigos, familia e ao amor, sinto muito...
não vejo outro sentido, portanto, continuarei a dar o melhor de mim, meus maiores esforços e sacrifícios para sentir perto, sentir, e apenas. Não há prazos, nem outro sentido a não ser viver o amor, e cada derivado de tal.
Talvez eu esteja pensando como o vizinho agora, e estou rindo porque parece auto-ajuda, ou uma reflexão comum ao mês de Maio, não sei, mas é engraçado.
Tenho medo as vezes, do desconhecido conhecido como futuro. Então criei o meu mundo, é egoísta sim, perante esse mundão de 'todo mundo', lá eu coloquei as pessoas que me retribuem no dia-a-dia, como se lá eu pudesse tomar conta e não deixar ninguem se machucar.Pena que ele só existe na minha cabeça, tentei mentalizá-lo mas descobri que O Segredo é ilusão, meu mundo não se materializou, rsss
Ah chega. Vou dominar o mundo, já volto!
Querido, seus olhos me renovam a esperança diariamente, dando a vontade de um pra sempre, mesmo quando a gente não sabe o que vai fazer amanhã. E eu acredito tanto nos seus planos quanto em você. Admiração e carinho que, ainda bem não se podem medir. 

terça-feira, 19 de maio de 2009

tá ai um bom investimento!


http://clubedeautores.com.br/book/1595--Cabeca_Voodoo

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Seguir viagem... tirar os pés do chão.

Ir contra todos, mas a favor de si mesmo.
Não vejo graça em ver o que não é mais, nem o que poderia ser, nem o que seria se.
se hoje fosse ontem, eu queria ser o que sou agora e mesmo assim hoje eu não enxergo, pelo fato de que ontem eu não pensei  no hoje- principalmente no que eu queria ser agora.
Não há mais reclamações, chega de blasfemar, tenho tudo que nunca pensei merecer, e então as nuvens negras que povoam a cabeça vazia de pessoas vazias são apenas confirmações de que doses de inveja deixam em coma. Aí *você, tanto faz, enquanto eu faço a diferença!

;)

* você ao que me refiro, são os fofoqueiros e desocupados que perdem um tempo que poderia ser útil, cuidando do alheio.
 

terça-feira, 28 de abril de 2009

Posso olhar pra trás... e  ver que já caminhei uma quadra.
Sem muita inspiração, hoje conto apenas com a má vontade de fazer outras coisas que me valem o salário do mês.
Chegado ao ponto em que, vejo quase tudo como um exagero... solto o acelerador e apenas observo.
fazendo figuração...

Ela tinha em si a vontade de ser tudo e absoluta certeza que conseguiria sem problemas.
Ela exagerava no tamanho da letra, e na pressa em crescer.
Ela corria tanto que cortou o pé, chorava tanto que não podia nem falar.
pediu tanto... que cresceu rápido.
Cresceu tanto, que ficou 'fofa';
se decepcionou tanto, que aprendeu a se gostar;
Trabalhou tanto que ficou doente, estudou tanto  que desistiu de tudo;
e... eu suspeito que ela vai morrer de amor.


voltando pro lado de lá.
tchau.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Sobre o tempo II

O que nos faz buscar pelos fatos, são as entrelinhas que eles causam. 
Meramente, somos apenas figurantes na vida real, expostos aos maiores delírios e achando que podemos tudo, que temos controle, do que? não sei!
(...) 
Manias de poder e posse, que só existem enquanto temos o outro, uns aos outros.
E no entanto, se parar pra pensar... somos apenas vítimas de conspirações, sofremos de psicose, considerados psicopatas por não ter capacidade de agir, ou a fadiga que é maior, não sei e não vem ao caso.
Abordados pela realidade que achamos que existe, quando na verdade é só o tempo nos fazendo cócegas, de fato.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

sobre o tempo.

Árvores sempre foram árvores, pessoas, pessoas.
...
o tempo é uma grande divindade, ele vem mostrando seus poderes pouco a pouco, dia após dia.
trazendo alegrias, frustrações, realizações, planos e suicídios; 
Não vejo um recorte que simplifique-o, mas vejo muitas passagens que exemplefique.
Por que em alguns momentos do tempo que possuímos, nos são oferecidas pessoas que trazem consigo sorrisos, e... o tempo dá gargalhadas, enquanto temos a certeza de termos gente jóia  em nossas humildes vidas.
Vira-se a próxima esquina a direita e lá vem ele... tempo e tempo, mais momentos, mais amigos, mais de tudo isso. Nem percebemos, e aquela lista que não cabia em uma folha, ou em uma página do orkut, se reduz... vira pó. 
E o tempo nos dá sempre outras oportunidades, pessoas novas, momentos divertidos, mas... quando percebemos acaba a festa e não restam mais de 5 e no máximo 7 pessoas, amigas.
(Não entenda como um relato de decepção, é uma prestação de contas ao tempo, por entender as entrelinhas, não espero quase nada de ninguém, o que  o tempo me fornece é válido.)
O tempo nos diz sempre, que na maioria das vezes é tudo questão de interesse. Se te sobram 5 pessoas... é lucro certo. Eu sou uma garota de sorte ;)
meu número é 7 .

o tempo ri, por que sabe que só ele ensina, é fato e é mito!

quinta-feira, 16 de abril de 2009

tem todo meu eu.

sentados na varanda que não temos,  lá se foram cinco minutos, cronometrados e condenados por minha rotina.
foram eles, deixando comigo a mais intensa das sensações... aquela que não se consegue explicar, mas... que de algum modo todo mundo conhece.
um cigarro, uma árvore, um ventinho, uma sombra azul e a grande razão.
tem todo meu eu.

a pergunta era... ficaria mais meia hora?
 te digo que fico, a vida intera, já que não vivo de meias verdades.
tem todo meu eu.

terça-feira, 7 de abril de 2009

só falo por falar...quem cala, consente.

Que diferença fez a indiferença... e não volta-se atrás!
Fruto da nossa infantilidade, ações algumas vezes que manifestam  um nada com nada. 
Altos e baixos de uma vida que só passa pra você, em você e com você.
De nada adianta, trancarmos nosso coração em um poço de razões sem sentido que num profundo aspecto, não representam nada. 
A cada manhã olha-se pra cima e o tempo não está bom... toda manhã? o tempo que te errou, porque ele ainda faz sentido pra alguem.
Escrevo nestas linhas mas estou entre elas. Não fico em cima do muro, apenas vejo o que se sente, e nada que possa agradar a todos. Por ser sincero, por parecer que a cada segundo esgota-se o tempo, não o meu, não vejo passar, mas o  que está sendo perdido em mágoas, em futilidades, em besteiras que não servem pra quase nada, a não ser  o não ser.

-> não falo de amor, não falo de amigos, de fantasmas, não falo de você,  menos ainda de mim... eu só falo por falar, por imaginar, por achar que assim se fez  alucinações num contexto de realidade, diversão e  ignorância o resultado é concreto você vê a todo momento.


quarta-feira, 1 de abril de 2009

...

É como se as vezes as cores falassem, os movimentos se repetissem exatamente como aquela vez... lembra?
não...
não adianta forçar a memória, até porque  você só vai sentir quando chegar a vez...
Quando do nada há uma sensação macabra, um retorno ao não se sabe quando.
um turbilhão de bobagens...
dejavu!



segunda-feira, 30 de março de 2009

Laços e brindes perplexos.

Um brinde! ao tempo necessário pra trazer a ordem... mesmo que com ela, venha a desordem, e mesmo que com tudo isso, sempre venha a mais... mais do que não se quer e menos do que se imagina!!
Sinto saudades, algumas vezes, de minhas palavras vazias e de pensamentos super cheios, de coisas, caos e casos. Nunca pedi que ninguem me entendesse, mas acontece as vezes. O importante por hora é minha consciência do egoísmo; o grande movimento que nos cerca!
Independente de que poderia se tratar ao exempleficar tal 'sentimento' nada escapa de sua triste sinceridade. Não vejo nada que se mova, se empenhe ou qualquer coisa que não traga junto de si um auto-benefício. Só sei que... independente disso, é amor!
Quando, como e por que... são sentimentos tão egoístas que cada um que ler, de algum modo saberá  do que se trata. 

Saudades daqui... minhas idéias me abandonam as vezes... quando meu coração me domina...

domingo, 8 de março de 2009

Saídas bloqueadas.

A vontade de estar certa muitas vezes cala a realidade.
Tudo que tenho, as vezes não passam de planos malucos acompanhados de doses de bom humor - pra não chamar isso de fé, que é complicado de explicar...assim como de entender.
Não queria atropelar os passos, escolher errado por saber que é certo, levar tão a sério o que vejo no espelho e algumas vezes ignorar a 'alma'...
Quase sempre olho na janela e acredito no outro lado da rua, parece que meu mundo não passa de ilusão, toda vez que muda o cenário.
Vezes acho que sou muito forte, outras tenho certeza que riem em minhas costas... fortes responsabilidades, olhares tortos, pesados, pré julgamentos a uma garota sem perdão.
Penso que pouco importa, mas as vezes dói quando vejo realmente poucos ao meu lado...
Me conforto ao ter a certeza de que os que ficaram não são passageiros dessa vida sem volta!
Só tenho certeza das dúvidas, tá e algumas dívidas...
Mas o que digo com tudo isso é que não entenderiam se falasse dos meus sentimentos diretamente, já que os expresso em todo momento.
Algumas situações me pressionam demais, cá estou, sem saber como agir!
Não é o fim do mundo, nem motivos pra reclamar, já que alguem um dia soube como é ao dizer "não tenho pra onde ir, mas não quero ficar" . Tudo seria diferente se eu não fosse eu, e fizesse parte da maioria, do bando de conformados.
Boa noite, esfriou, me alegro por isso.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Delírios, doces delírios.

Cada segundo uma nova idéia, novos assuntos, novos planos...
Quero que a partir de agora façam-se valer os sonhos de outrora, que ficaram pra trás, é errado deixar de lado nossas vontades, nossos planos arriscados e indiscretos, arriscado não arriscar!
Ao que parece a esperança predomina, infeliz companheira, que me vence pela paciência... A  propósito como é bom estar envolta por uma nuvem da pureza, intensamente entregue...cá estou, acreditando... sonhando e muito amando.
Se eu cair dessa nuvem, não faz mal, será meu preço por amar demais! Mas algo me diz que desta vez,não!Eu pouco me importo com as consequências,  chega de deixar um pé atrás... não sai do mesmo lugar... posso andar no escuro novamente. Acenderam as luzes.
Esperança... Toma, sou toda sua.


"E se eu morrer de amores quem pagará o enterro e as flores?" 


Idéias...

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

um lindo e macabro dia em cor cinza...
sem sol, sem chuva, um doce vento que tráz consigo algumas vontades, boas más novas!
Te deixa a sensação de : será? Um mundo além deste, só que aqui mesmo...
não entende, certo?
Viver em pura ilusão, de um universo que criamos passo a passo, é bom e divertido até que anoitece, e... não é por ai... pegamos o caminho errado... outra vez!!
Recomeçar, começos que não vem ao caso, sorrir, olhar pra algum lugar lá na frente que não existe, porém, vivemos mais uma ilusãoem pensar que lá está ele a nos esperar.
Até quando? 
Por hoje até a hora de fechar os olhos.
Amanhã, invento mais um episódio da minha trama paranóica, ouvi falar que chama-se vida.

Não quero viver pra sempre, nem morrer a toda hora(8).
 

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

¹Páginas em branco, fotos coloridas

Talvez tenha encontrado a resposta pra todas as minhas perguntas...

Quem sabe o destino estivesse certo e eu deva parar de teimar, de achar que tudo deu errado e que era minha, toda culpa.
Na verdade, o que foi intenso demais, deixou a desejar, quando era apenas pra ser, passamos a insistir, em respostas que não vieram nem virão, por que não existem. 
Tudo esteve bem, ou bem em partes antes de um início que já existia. Porém tudo passou a ser inconstante, intimidade mata! Rotina? nem sei do que acusá-la!
O que intriga por hora, é o fato de não estar tudo bem,já se falou disso! 
 é... certo tempo depois volta a ser recíproco algumas sensações.
Não quero me confundir ainda mais, não quero nenhum pensamento, nenhum ato após o flash back.
Só quero sentir aquela paz de tempos... porque pareceram anos, quero respirar a última vez, sim, sentindo a esperança, que... sinto muito, não vai embora...me leva embora!
Nada vai te tirar de dentro do meu coração... 
Paciência.
Confusão, perplexidade, vitímas de uma realidade qualquer.

Eu sinto.

o mesmo frio na espinha.

engraçado.Real


¹ O título é uma música todo mundo sabe... mas faz sentido, pra mim. rss nesse minuto, é tudo muito relativo.

Menos horas

Pois bem, ainda tem muitas tarefas a serem realizadas, promessas a serem cumpridas e quebradas. Caminhos certos a serem errados, visões distorcidas de assuntos importantes. No entanto, vejo o destino e imagino o passado como bons amigos imaginários, reza a lenda que nada disso é fixo nem certo, eu como só acredito no acelerador, tanto faz.
Conclusões malucas assim como a paranóia de estar sempre certo de todo mal.
Super natural pensar nisso a diferença é que eu descrevo suas idéias camufladas.
Tudo isso dentro de um contexto geral.

Beatles é bom.



sexta-feira.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

All my love (8) (sem criatividade alguma)

um aprendizado constante?
talvez... 
nada que muitos tombos e lágrimas não expliquem, se colocar tudo em uma balança teremos os resultados positivos. Ou não?
Não importa. Não estarei mais aqui nesta estação quando as ondas chegarem.
A vida anda me atropelando, e no fundo eu desenterro algumas esperanças, ou melhor: expectativas. Já ouvi que não digo nada coeso com minhas palavras soltas por aqui, mas eu não me importo... rss ao contrário é divertido transmitir minhas idéias confusas e embaralhadas, assim como me fazem, faço com elas...
Pode ser resultado de aprendizados que não levam a um lugar só e sim a uma encruzilhada, ou várias? Também pouco interessa.
Liguei os holofotes, faço parte do meu palco agora, dei vida a personagem que até então esteve nos bastidores, esperando um convite. Nada!
Quem sabe a chuva...
Os ventos, 
A janela, 
O caus,
A vida ou a morte saibam explicar o porque, aonde está escondido o que não se pode manipular e nem usufruir?!
Eu só procuro o "Faz-de-conta" chega de ser real o tempo todo, não compensa,  causa coisas.
 Erros e acertos, promessas e algemas.
Livros e páginas em branco.

No mais, a saudade de uma época que não me pertence, quando eu lia:

"O amor verdadeiro, o amor profundo é reconhecido pelo fato de matar todas as paixões: orgulho, ambição, faceirice, nele tudo se perde, tudo desaparece. Está tão longe do orgulho que costuma passar para mais longe, colocar-se exatamente no outro pólo. Desejoso de absorver-se, não faz caso de si, esquece com toda facilidade o que chamamos dignidade, sacrifica-se sem hesitar os belos aspectos que mostra ao mundo. Nada esconde dos maus, e as vezes os exagera, não querendo agradar por nenhum mérito se não pelo excesso do amor."
(MICHELET, J. / A mulher p.246 Ed. Martins Fontes/  São Paulo 1995.)

Óh...quanta bobagem... tambem posso escrever nada com nada então!
Ouça comigo Led Zeppelin: All my love.
é mais interessante, desculpe por tomar seu tempo em ler isso.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009





Não tenho pra onde ir... mas não quero ficar...




segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

na verdade, bem de verdade?


A febre ajuda a ter sensações que de reais só existe  a vontade. Tempo fechado, coração liquidado, espirros que não veem, ponteiros imóveis, vontades de tudode modo incessantemente ancioso.
Se prestar bem atenção em um silêncio muito forte lá fora, apesar de todo esse barulho... se fixar o olhar no nada, lá, depois do horizonte... você verá o que eu digo, o silêncio se materializa.
As nuvens hoje estão carregadas de lágrimas, eu fico observando até quando elas aguentam sem chorar, sem nos molhar e sem infectar o mundo com seu pranto.
Dia triste, pessoas infelizes cruzando a rua, cabeças baixas, vento frio, eu só observando... novos planos, saídas de emergência, portal de embarque e desembarque logo ali, vejo os kilometros no horizonte se desfazendo, desmanchando e virando gotas de esperança.
Longe demais das capitais?
Vezes sim, vezes não...fico aqui esperando as cartas que não vão chegar, as flores que apodreceram, o telefone sem bateria tocar, olhares que não passam de falsos presságios de um amor que só existe em mim. 
Enquanto isso eu  coleciono linhas cheias e esvazio meus olhos- da esperança medonha.
 

e tudo que eu queria era ver sessão da tarde, enrolada num cobertor abraçada com um balde de pipocas.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

É tudo uma questão de ponto de vista.

Se dizer que tudo está bem é mentira!
Se acaso falar que tudo vai de mal a pior é mais uma inverdade. Puríssima.
O fato é que cada um deve engolir pra si o que sente, caso contrário o mundo se tornará uma grande clínica. Ao meu ver e, a minha incapacidade de mudá-lo - faz pensar.
Em cima de um muro alto, vejo as coisas como devem ser.Prefiro o subjetivo, não subjetivo em si, mas as coisas que eu criei pra mim, os sentimentos que só existem dentro da minha cabeça, porque pra chegarem ao coração eles precisam ser divididos,aceitos, o que não é fato.
Não é possível.
Faço história, mas se tem uma coisa que não vale a pena é o meu passado, tá digam aí que experiências são válidas e que só se aprende ao vivo, mas não sou comum ...e cada vez que há um flash back na memória me sinto mais ninguem.
Não conto vantagem, não baixo a cabeça, apenas olho para os lados e o mundinho que nos rodeia é feito de gente egoísta.
Não vejo futuro,mas infelizmente credito nele, e olho para os lados e penso que tenho que dar isso a alguem, já que não consegui comigo mesma, faço por ela...
óh doce e pequenina criança.
Suporto meus gritos e toda dor por ti, apenas.

Nada mais importa.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009


As vezes eu sinto errado... talvez por não ser feita de meias verdades...
As vezes penso que só preciso de mim, outras tenho certeza que fatos, atos e pessoa fazem parte do que forma o meu eu.
Muitas vezes sinto que nem existo, outras me sinto fundamental ao nada;
Algumas vezes vejo meu reflexo, mas em muitas só ouço meus gritos...
Me sinto querida e desprezada.
me sinto tudo ao mesmo tempo que isso é nada.
As vezes não sinto, apenas sigo o instinto...
Eu busco o mais complexo... mas já falei sobre isso, simples assim.


Boa noite a Lua que reflete o mistério de almas ofuscadas.
Hoje já acabou, logo é amanhã que recomeça e lá vamos nós e blá blá blá...

?!

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Existindo e insistindo.

olhe pra fora e veja o que pretende, o que deseja ou o que ao menos tentou...
Imagina-se normalmente o que é praticamente impossível, planos e objetivos surreais, coragem versus distância, sonhos bons pra ter do que reclamar depois que nada deu certo... mas no fundo sempre se soube! Nada como manter os pés no chão (mesmo com a cabeça lá na lua^^).
Mesmo que atrás de grandes feitos, os maiores resultados e sucesso absoluto (mesmo que isso não exista), deveria ser pensado antes de tudo nos detalhes (de tudo), são eles que moldam tudo, independente do que signifique esse tudo, fazer alguem feliz ou infeliz através deles é muito mais fácil do que se pensa antes de mostrá-los alguém já pode estar encantado ou realmente magoado.
Tarde demais quando percebe-se. Agradar sendo o que não é, qualquer um consegue!
Viva o sorriso, as músicas e as gentilezas, as paisagens e o acelerador.

Sem votos ou dedicatórias...
ao vento.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Confusão do dia.

É como se fosse um encanto, em que o desencanto é escondido, disfarçado de realidade, e fazemos de conta que passa... impressão tua! Pouca coisa ainda hoje faz sentido, arriscar não é mais uma das saídas, é a porta principal. Fazer não por você, por alguém, alguma coisa, que talvez nem tenha importância pra mais ninguém. É tudo como se não existisse nada, pode me achar confusa, mais estou sóbria, um pouco de mal estar não faz mal a ninguém... se toda realidade não faz porque uma sensação ruim de vez em quando vai matar?
Não acredito na morte, mas as vezes ela é minha única certeza, também não acredito que vai dar tudo certo, que as coisas terão um desfecho maravilhoso - porém, as vezes me contagio desse otimismo mesquinho. Não acredito em minha pessoa, mas as vezes só tenho ela (por mais impossivel que isso seja). Não acho que alguém pode gostar disso, mas mesmo assim você vai ler.
As certezas e a boa vontade são constantes. Mal estar angustiante é a companhia do dia. 
eu sonhei que tinha um alfinete dentro do meu olho esquerdo e  agora sinto frio.
E você o que sente hoje? eu não minto mais pra mim... pressão.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Selo



Ganhei esse selo maneiro do blog Nanda  , Obrigada !!!
Abaixo vem as regras que seguem esse selo:
1- Exiba a imagem do selo “Olha Que Blog Maneiro”.
2- Poste o link do blog que te indicou.
3- Indique 10 blogs de sua preferência.
4- Avise seus indicados.
5- Publique as regras.
6- Confira se os blogs indicados repassaram o selo e as regras.

7- Envie sua foto ou de um(a) amigo(a)
para olhaquemaneiro@gmail.com juntamente com os 10 links
dos blogs indicados para vericação.
Caso os blogs tenham repassado o selo e as regras corretamente,
de alguns dias você receberá 1 caricatura em P&B.

8- Só vale se todas as regras acima forem seguidas.
Meus blogs indicados:
4- Lua


Hehehe, obrigada e passo a diante ;) 

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

¹"Os Normandos são os Nórdicos que viajaram muito"

- poxa  chega a deixar "de cara" uma frase tão simples que define alguns meses de estudos... pra tentar dizer isso...aí você pega um livro de Le Goff e o véio escreve isso assim...tão direto e ainda resume tudo isso em um parágrafo!
Putz... só sei que sei menos ainda

¹LE GOFF,Jacques "Uma breve história da Europa" p.67.  Ed. Vozes. Petrópolis, RJ : 2008.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

inteira feita de meias verdades


putz, não tem chão aqui.



Suas portas dão para o Norte, o que não é um bom sinal... além do vento te pegar de frente e, o número 7 ainda... putz
As paredes já não dançam como antes, o tempo é esgotado, o céu fechou, e minha cabeça está assim hoje, num vai e volta que não quer dar tréguas...  alucinações mais lucidaz do que nunca! 
acho engraçado, porém triste, humor negro. 
Meu desabafo mais abafado que nunca, um aglomerado de palavras que não levam a nada, mas que saem com tnta espontaneidade que nem parecem minhas.
Já caminhei 1 km aproximadamente nesta sala de uns 3 mt², isso só hoje.
Acredito que persigo as tempestades - sendo a ventania.
Eu sei que vai passar vai fazer curvas vai capotar, sobreviver e ai talvez morrer, virar brisa... Deuses e heróis me cercam aqui na minha mente que não mente, se engana, pobrezinha! Se o céu soubesse a hora ele iria me dizer, porque eu já cansei de perguntar! Mas só ouço os risos quando aqui escrevo -  mas já me conforma te fazer rir!
Desligaram os holofotes, vou ler no escuro um manual e criar minha própria luz.
Eu sou a metade de mim, o resto é inteiramente real -  vendaval.


domingo, 1 de fevereiro de 2009

sem definições do que se trata!

E olhando pela janela de tudo que passou ainda pesam mais as coisas boas, mesmo que hoje façam mal. "O bem é o maior mal" por isso, hoje vejo que eu sou meu maior mal por isso devo viver apenas com ele e ele comigo. Chega de contagiar as pessoas com isso, chega de cair de imensuráveis alturas, chega de ter esperanças com qualquer coisa-situação, o lance está em ir atrás sem pensar, não pensarei mais, não criarei espectativas sob hipótese alguma - no fundó é uma coisa só!
olha esse sol... o calor ta matando, quanta coisa poderia ser feita como por exemplo assistir tv? Pois é minha mente está limitada, não consigo pensar em nada além dessa ressaca moral e física.
Me envergonho pela minha confusão de pensamentos e por atos tão sérios e decisivos, e isso ao mesmo tempo em que me orgulho de tudo isso.
Me acusam da coragem que nunca me faltou. O cansaço não me derruba, o mundo caótico? isso tanto faz... o coração? se quiser continuar batendo...beleza! Não sabendo ao certo em que, não vou pensar.
O fato é que adaptação talvez seja um lance que os outros tenham que fazer, não eu!! Egoísta sim, a vida já foi muito cruel comigo em pouco tempo de execução, não quero um oscar por isso nem caridade de ninguem, apenas respeito e consideração - palavras complexas de tão simples que me recuso a ensinar a quem quer que seja, a vida me explicou do pior modo como as coisas funcionam, hoje vou por em prática comigo mesma, já que poucos conseguem assim fazer.
Sonhos e pesadelos já não me assustam, medo e solidão também não, grana eu dou um jeito, ficar bem eu não quero mais, é 7 vezes pior depois do tempo em que o bem te faz mal.
Posso brincar com a loucura? Devo ser comediante ou qualquer coisa do gênero engraçado, já que tanta gente quer brincar comigo, um dia eu aprendo a fazer isso também. E, se eu mentir talvez me gostem mais, mas eu não gosto nada de multidões!

Eram planos e palavras...
Hoje são evidências e desilusões!

Vou dormir pra esquecer os planos dessa tarde! e pra esquecer o que não se pode ... jamais!
Loucura - seja bem vinda! Não há mais ninguém além de nós duas agora!
E vê se ao menos você fica!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

E eu sei lá!!

acho que são problemas de sextas feiras... esgotada, nenhuma novidade!
pensando em nada específico e em tudo de modo profundo.

Se as pessoas fossem mais simples, talvez alguem me entenderia!!!
É assim que funciona, de tão simples me torno complexa demais, não entendendo mais nada do que está havendo com as escolhas e com as atitudes das pessoas, afinal pra quê tudo isso? Querem mudar tudo, até meu português errado, sofisticar, aparecer, complicar, dificultar, impossibilitar o que é tão simples... aceitar, conviver e aos poucos aprender a viver.
Não sei mais o que pensar desse todo, deveria me livrar logo da esperança, ou ela que não quer livrar-se de mim? - se ela não quiser que se adapte a mim, não vou voltar a ser oque nunca fui.

"amanhã, talvez, esse vendaval faça algum sentido" (H.G.)  ^^

Mas por enquanto fico aqui, do terceiro andar,  olhando as pessoas na calçada, querendo complicar-sofisticar-aparecer-  mais um pouco essa simples sexta-feira.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Corrente #35


Fui desafiado pelo Alam...

 

Pegar um livro próximo (PRÓXIMO, não procure);

  1. Abra-o na página 161;
  2. Procurar a 5ª frase completa;
  3. Postar essa frase em seu blog;
  4. Não escolher a melhor frase nem o melhor livro;
  5. Repassar para outros 5 blogs.

 


o que acontecerá  com quem quebrar a corrente é o seguinte: 

* NADA ALÉM DE NÃO LER A PÁGINA 161, ESCREVER A FRASE, ENGORDAR 30 KILOS, TER MUITA DOR DE DENTE, CASPAS E PIOLHOS, TROPEÇAR NA CALÇADA NO CAMINHO DO MERCADO E QUEBRAR UMA COSTELA E DOIS DENTES.

SENDO SÉRIO VOU FAZER MINHA PARTE:


"DESCONHECIDA CHAMADA GEFION:"... É UMA VIRGEM, E AS JOVENS QUE MORREM VIRGENS SÃO SUAS SERVAS". 

(MITOS NÓRDICOS. R. I. PAGE / ED. CENTAURO)



MEUS INDICADOS PRA  DAR CONTINUIDADE A ESSA COISA SÃO:

 LUA, MARCOS, FABIANA CARNEIRO, UMA- MENTE E O HOMEM PÁSSARO.



ABRAÇO :p


Obscuro .


espaço entre os pontos,
pontos que ligam - desligam... o espaço.

perturbações contínuas de uma vida que não existe.
seria um pesadelo: se fosse real, como não envolve a carne, então...
e também não considero um sonho.
Pois, prefiro os reais, os fantasmas cotidianos...
concretizar as profecias de tormentas noturnas? selar o destino!.
cessar os caminhos entre as flores, olhar pra cima, ver a tempestade que me trouxe - e que me leva.
Lavar a alma, chorar ao vento, amarrar aos arames da realidade, mais [ou menos] uma vida;
sussurrar os desejos que até então só foram ditos pelos olhos, que deixam a desejar e,
só veem pra machucar, rir, assustar.
Que volte o relógio e páre!! de atormentar...que fique na hora do fim,
ou do recomeço para os esperançosos. rss
São os pontos que ligam ou que desligam?
E ela morreu - não sinto nada - sinta você...


quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Nada como tudo, que vira nada mesmo podendo ser tudo de novo.


Alguem já disse que nada como um dia após o outro... discordo; nada como um dia em cima do outro, em  que podemos pesar em nossa balança consciente o que vale mais  e oque não compensa. Então joguemos fora aquilo que restou e que compõe nossa essência... mas não sendo recicláveis como os papéis de velhas cartas que ficaram pra trás, não podemos simplismente descartar, embaralhar, desfazer...o que podemos  é retirar as melhores frases, os melhores versos, e adapta-los ao mundo preto e branco em que nos encontramos, já que nossas cores foram lavadas pelas lágrimas... de um sorriso?  Pura confusão, é a minha confissão! Ventos que transformaram-se em redemuinhos, levando consigo tudo, mudando tudo. E Eu aqui, em cima da "pedra" assistindo, sorrindo e esperando passar, esperando o que ou quem passar ainda não sei, eu gosto de surpresas.

"toda noite de insônia eu penso em te escrever..." ( H.G.)



** a foto não tem nenhum "porquê". 

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Eu



Eu deixo aqui, neste instante todo e qualquer desperdício, desesperador, não vou perder nada que nunca foi meu, nem arriscar partes de mim - como poderiam dar-me o que sempre me pertenceu? O sonho o amor e a loucura sempre fizeram parte de mim, como poderiam tirar? Anos perdidos em esperanças asquerosas, lugares medonhos e pesadelos reais. Viver parece tão bom quando, de algum modo se esteve morto, pena que passa rápido e, como sempre: deixa rastros... que não seria certo definir como saudade, e sim como um sentimento negativo de incapacidade de manter oque a tão pouco não necessitava de esforços para se mostrar vivo - e contagiar- eu sempre faria tudo, mesmo que o tudo fosse fazer nada, menos me sentir incapaz, como, quem sabe seja o fato, ato. Olho para todos os lados e só enxergo a fumaça, que o cigarro deixou - antes do fim... Talvez eu seja só uma fase de ilusão a mim mesma: quando me sinto. Ou quem sabe uma fase da Lua? uma forma do vento ou apenas um talvez?!. Talvez...



talvez .

HÄGAR, O Horrível



m

HÄGAR, O Horrível

HÄGAR, O Horrível

HÄGAR, O Horrível

HÄGAR, O Horrível

HÄGAR, O Horrível

TABERNA DA HISTORIA


*****taberna da história :D

eu prefiro o dia...


pra dormir!

 e a noite pra sonhar: acordada! pra pensar, escrever, estudar, cozinhar, amar, sentir, chorar,sorrir,  trabalhar... viver...pois a vida parece mais bonita e  fresca em preto e branco! Eu prefiro.

 "... hoje eu acordei agora eu sei...viver no escuro..."           (H. Gessinger)