sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Óhhhh.

A quanto tempo não te vejo. Através da parte escura do espelho.
e vejo em minhas palavras passadas sentimentos renovados... Sou um acúmulo de lições que anda por ai, ainda enxergando rostos tristes, felizes, irônicos,rostos...
Eu demoro aqui por não saber expressar nada além daquilo que penso sobre o nada que é meu. exclusivo. incompreensível.
A vida é engraçada quando algumas coisas fedem.
Confusão é algo que faz parte de mim, do meu dom, do meu ímã. Não vejo mal algum, vejo que me movo por ideais que me moldam, luto por sentimentos que valem a pena. Não tenho mais medo, encontrei minha fortaleza. Ao contrário de todos que vagam, sem saber por quem esperam, o que arriscam ou o que já conquistaram. Eu sei quem sou, mas ainda me surpreendo sozinha...
Não evito, reajo, conforme acho ou não necessário.
Mas algumas coisas continuam em seus lugares de origem, poucas.
Danço num ritmo inventado mas ainda desconhecido por ser próprio, as vezes torço o pé, por que a vida dói.


Em dias como hoje, não me pergunte nada, por que eu enxergo a esperança criando raízes, ainda não sei se vai doer depois, e como disse antes, reajo.
Até um dia quem sabe próximo.(não disse?!)


3 comentários:

  1. Ah... que delicia é surpreender-se ...

    ResponderExcluir
  2. oi garota, que sábias palavras.
    muito bom te ler de novo.

    ResponderExcluir
  3. Segurando o fôlego pra ver se nada disso aqui me escapa dos ares!


    beijos.

    ResponderExcluir